>Alemanha 20 anos depois da reunificação

4 out

>

Presidente da Alemanha Christian Wulff e sua esposa

Ontem, dia 3/10/2010 a Alemanha comemorou 20 anos de reunificação. Num discurso o atual presidente, Christian Wulff, falou sobre a importância de todos aqueles que sonharam e lutaram por uma Alemanha unida e democrática. No site da Deutsche Welle saiu uma reportagem muito interessante sobre a diferença entre os jovens da Alemanha Ocidental e oriental, mesmo depois de duas décadas de união.
Muitos preconceitos ainda estão encravados nos Alemães do oeste em relação aos do leste. Senti isso depois de passar um tempo em Berlim.

Essa linha no chão significa que o muro passava aqui.

A reportagem vocês podem acompanhar aqui, ela dá como exemplo a cidade de Frankfurt do Oder, que não é a conhecida Frankfurt, coração do capitalismo, mas pelo contrário é a Frankfurt que faz divisa com a Polônia.
Mas quero me concentrar no discurso do Wulff, principalmemente na parte onde ele falou sobre a população alemã. Muito mais diversa do que se imagina no Brasil, a Alemanha tem um caldeirão cultural – que por sinal está lotado -, que se não souber ser admisnistrado, pode entornar a qualquer momento e gerar estragos inimagináveis. Christian disse que os mulçumanos também são parte da Alemanha, e falou sobre a importância da união dos povos no país, afinal são mais de 4 milhões de mulçumanos que vivem num país que tem cerca de 90 mlhões de habitantes. Sem contar estrangeiros de váris nacionalidades, religiões, culturas e costumes. A tendência para o futuro é que a Alemanha terá cada vez menos alemães de raízes históricas germânicas e cada vez mais povos vindo de todas as regiões do mundo.

A questão da integração na Alemanha é pauta que parece nunca sair das mídias. Um dos agravantes em relação ao problema da aceitação dos mulçumanos na sociedade alemã, além de toda problemática histórico-social está o fato da mídia passar uma imagem que conecta a religião islã com os grupos terroristas. Exatamente no fim de semana em que o presidente alemão faz um discurso sobre união dos povos, os Estados Unidos lançam alerta para os turistas americanos sobre o alto risco de ataque terrorista na Europa, não citando um país em específico. Também a Inglaterra tem alertado os ingleses sobre o risco de ataques especificamente em Berlim. Eu mesma estava indo para o meu estágio em berlim na última sexta-feira e meu trem ficou parado por cerca de 15 minutos em uma estação. Quando chegamos em Friedrichstraße, a estação estava lotada, com as escadarias cheias de gente esperando pelo metrô. Ao que parece houve denúncia de bomba em uma das estações entre Wedding e Friedrichstraße. Resultado, cheguei quase meia hora atrasada no trabalho.

Acho difícil um atentado na Alemanha. Só se fosse no caso de um homem com um monte de bomba no corpo e que se explodisse, fora isso, acho que a polícia é bem equipada ou desocupada, afinal tirando a preocupação com essa coisa de terrorismo eles quase não tem o que fazer, nunca vi policiais mais bem humorados que os alemães, claro, que o desocupado que eu me refiro é em comparação com o nivel de criminalidade do Brasil, que é muitooooo mais elevado que o da Alemanha né. Mas mesmo assim nunca se sabe o que se passa na cabeça de pessoas loucas não é mesmo.  Só queria deixar claro que terrorismo não tem a ver com religião, e sim com fanatismo, com doenças psíquicas, com educação e problemas sociais. E isso pode acontecer com qualquer grupo religioso ou não religioso que jura ter um inimigo.
Agora cabe a Alemanha, mais que combater o terror com armas, mostrar que não é inimiga do islã. Será que  era isso que Wulff tentou? De qualquer forma ele deixou bem claro que quem mora na Alemanha, para se sentir bem lá, tem que se adaptar ao modo de vida do país e acho que isso é regra para qualquer um que vá se mudar para qualquer lugar no mundo. Isso não significa abandonar sua religião, afinal a Alemanha é um país democrático que dá liberdade nesse aspecto, mas começa com coisas pequenas, como por exemplo respeitar o sinal vermelho ou não ficar gritando com um colega que ta sentado na outra ponta do metrô lotado de gente, seria sim um bom começo🙂

Berlim. Salão onde é proibida a entrada de Mulheres, ou melhor, onde apenas é permitida a entrada de homens e crianças.

Foto do Wulff: Wikipedia.de
Outras fotos: Meu Arquivo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: