Arquivo | junho, 2010

>Wulff é o novo presidente alemão

30 jun

>Passando rápido pra dizer que depois de nove horas de votacao, no terceiro round o presidente da Alemanha foi escolhido: Wulff.
O que eu vejo no Twitter é uma revolta dos alemães que não tem o direito de votar no presidente, como ja falei nesse Post. Em um tweet um alemao escreveu assim: Gauck e Wulff caminham pela rua quando alguém grita “ei Olha nosso presidente… e o cara que foi eleito…”
Nas outras eleições para presidente não houve tanta zum zum zum como dessa vez. Pode ser que a renúncia de Köhler acordou a opinião pública e já vi muita gente por aí contestando o porquê do voto nao ser direto, afinal é o presidente do país, apesar dele não fazer muita coisa ainda assim é o presidente né?!

>Uma pequena pausa para um fotoblog

24 jun

>Oi gente, eu parei para ver os últimos posts e cheguei a conclusão que eles estavam um tanto pesado né?! Educação na Alemanha, política da Alemanha…

Como hoje eu acordei e vi esse dia lindo, resolvi bater perna pela cidade para tirar foto depois da aula além de fazer umas experiências com a máquina nova. Então, o resultado desse fotoblog vocês conferem abaixo:

http://twitpic.com/1zl3mr
http://twitpic.com/1zl3xp
http://twitpic.com/1zl45a
http://twitpic.com/1zl4lc
http://twitpic.com/1zl4uu
http://twitpic.com/1zl551
http://twitpic.com/1zl5iw
http://twitpic.com/1zl5k1
http://twitpic.com/1zl5pg 
http://twitpic.com/1zl62m 
http://twitpic.com/1zl71z 
http://twitpic.com/1zl7fi
http://twitpic.com/1zl7oj 
http://twitpic.com/1zl7p3 
http://twitpic.com/1zl7vk 
http://twitpic.com/1zl7vq
http://twitpic.com/1zl8ad 
http://twitpic.com/1zl8e7
http://twitpic.com/1zl8g6

La tem mais fotos, podem ver a vontade, aliás, eu sempre atualizo la, podem sempre dar uma passadinha. Quem tem Twitter pode deixar comentários via twitter também apreoveitem e me sigam que eu follow back!
www.twitter.com/misskess 🙂
 

>Joachim Gauck, uma pedra no sapato da Merkel

23 jun

>

Eu já andei escrevendo sobre política da Alemanha por aqui. O presidente que renunciou, a corrida para achar novos candidatos e enfim a coligação que está no poder encontrou o seu representante, o Wulff como ja postei aqui. Mas o fato de Wulff ser o candidato do governo, não significa que o posto de presidente é dele!
A oposição encontrou um candidato a altura. Um político apartidário (existe isso no Brasil? Um político pode existir sem partido?) pastor da igreja Luterana que durante a ditadura comunista da RDA fez parte da revolução pacífica, Joachim Gauck. Grande parte da mídia parece ter apoiado a escolha da oposição e tem dado destaque a Gauck em suas matérias. Isso não tem agradado nada o candidato do governo que já fez declarações públicas de estar se sentindo deixado de lado pela mídia, que estaria influenciando assim a opinião pública. Na minha opinião essa é uma infeliz declaração, já que o povo não vota para presidente, o presidente é escolhido por um grupo de políticos, ok tem civis também, mas são pessoas esclarecidas e que tem noção sobre como a mídia funciona.
O que eu acredito que realmente está acontecendo, é que o candidato está desesperado por conta da crise que tomou o governo alemão. Vocês pensam que só políticos brasileiros fazem promessas de campanha e depois não cumprem. Pois aqui isso também pode acontecer. Angela Merkel e cia. prometeu que não mexeria nos auxílios sociais para conter a crise financeira. E qual foi a primeiroa coisa que ela fez quando a situação ficou preta? Justamente cortar benefícios dos mais pobres e aumentar os beneficios dos ricos! Só posso dizer que a Alemanha está revoltada com essas ações e até pedidos de novas eleições eu já tenho ouvido por aqui. Outro agravante no governo é o interesse da Merkel de continuar apoiando as indústrias de energia nuclear. A maior parte dos alemães já são contra esse tipo de produção energética. Ja tem uma lei que diz que a Alemanha tem dez anos para abandonar a enegia nuclear, mas a Merkel quer porque quer prolongar esse período para no müinimo 20 anos. Não se contentando em apoiar somente a produção desse tipo de energia na Alemanha, ela foi duramente criticada pelas comunidades internacionais por se tornar fiadora do Brasil no projeto Angra III. Sei que tocar nesse assunto com os brasileiros é delicado, pois o espírito ufanista, resquício da ditadura, ainda está impregnado na cultura brasiliera. Mas segundo o que eu li em jornais onlines, revistas onlines e em sites de organizações ambientais, não dá pra ficar feliz com a construção da terceira Usina em Angra não! O primeiro motivo contra a produção de energia atômica em qualquer lugar do mundo é: O que fazer com o lixo radioativo? Vamo enterrá-lo e deixar que poluam o lençól auqático? Onde colocá-lo? Normalmente o lixo é enterrado numa câmara protegida contra vazamento. Mas essa proteção tem um prazo de validade. o que fazer com isso depois? 
No caso das usinas brasileiras existe o agravante delas estarem contruídas em Angra, um local  que é  atingido por abalos sísmicos, geralmente leves. Como implantar uma usina tão delicada e perigosa em um local assim? E por último a tecnologia usada na Angra III é uma tecnologia sucateada que desde a década de oitenta foi proibida de ser usada na Europa por não ser segura! Agora me digam, porque a Merkel colocou a Alemanha pra ser fiadora do Brasil? Com certeza ela ja viu que o Brasil não vai dar conta do recado e logo vai ficar em dívida com a Alemanha. Simples assim né! Pois é, mas atitudes como essa da chanceler tem revoltado cada dia mais os alemães. E dizem as más línguas, que a renúncia do presidente Köhler nada tem a ver com sua afirmação sobre a soberania alemã. no Afeganistão. Köhler se mostrou contra a política de Merkel, contra usinas nucleares. Mesmo assim parece ter sido obrigado a assinar muitas leis mesmo contra sua vontade. Por isso sua saída agravou ainda mais a crise no governo, porque ficou claro que algo alí não está caminhando bem e abriu espaço para muitas especulações. 
No Twitter os alemães tem falado muito sobre o desejo de poder votar diretamente no presidente do país, como fazem outros países democráticos. É gente, a coisa por aqui ta esquentando mesmo!
No discurso que Gauck fez no teatro alemão ontem, ele levou o público às lágrimas. Falou sobre o quanto o número de alemães que votam tem diminuído. Com dificuldade para falar por conta da emoção ele se lembrou da primeira vez, no dia 18 de março de 1990, que ele foi às urnas e saiu de la com lágrimas de alegria falando com os que estavam ao lado dele: “Eu votei!”
“Ich blicke zurück und sehe mich am Vormittag des 18. März 1990 aus dem Wahllokal kommen – mit Glückstränen im Gesicht. Und ich sage zu dem Menschen neben mir, was der doch schon weiß: ‘Ich habe gewählt'”.
Fica a lição para nós brasileiros que reclamamos do voto obrigatório e não nos demos conta ainda do poder que nosso voto tem: Antes ser orbigado a votar do que ser obrigado a se calar!

>Ensino Alemão. Parte 2

21 jun

>Continuando a falar sobre como funciona a educação na Alemanha, hoje vou tentar explicar sobre a Hauptschule e a Realschule. Na verdade surge aqui uma dificuldade de se estabelecer uma regra de como elas funcionam, porque as leis sobre educação são de responsabilidade dos governos estaduais, então cada estado tem autonomia de modificar o sistema de acordo com as suas necessidades. Na Alemanha de modo geral o estudo é obrigatório até a 8ª série. A partir daí continuar a estudar ou não é uma escolha dos alunos. Como já disse no post anterior é no final da Grundschule que os professores indicam qual tipo de ensino o aluno deve seguir de acordo com as características e “dons” dele.
Depois de fazer a prova da Hauptschule os alunos podem também escolher continuar com os estudos em um nível mais alto. Isso se dá através de provas de nivelamento, testes de conhecimento etc.

Hauptschule
A prova final da Haupschule acontece normalmente no nono ano escolar.
Esse tipo de escola trabalha com métodos muito práticos, voltados para que o aluno encontre qual o tipo de formação técnica que mais tem a ver com ele. Apesar dessa orientação prática, a formação científica não é deixada de lado. Em geral ela não se diferencia muito dos outros tipos de escolas, só mesmo na duração e também na ênfase na área chamada de Arbeitslehre, uma junção do estudo de economia, ensino técnico e economia doméstica (traduzido livremente do original Wirtschaft, Technik e Hauswirtschaft. Se tiverem uma tradução melhor podem deixar nos comentários). O incentivo à escolha da futura profissão é estimulado através de visitas à feiras de trabalho e profissões, visitas à empresas, palestras, além do assunto ser tratado em várias matérias.

Realschule
Esse tipo de ensino médio vai em geral até o décimo ano. Ele é mais aprofundado que o ensino da Hauptschule permitindo que os alunos que estudam nesse tipo de escola tenham a possibilidade de ter uma preparação profissional melhor que os alunos da Hauptschule. As matérias oferecidas são as ciências (física, química e biologia), ensino técnico e formação básica de ensino de sociedade, além de economia (também traduzido livremente do alemão Naturwissenschaft, Technik, Wirtschaft e gesellschaftliche Grundbildung). Aqui também é implementado em diversas matérias o foco na escolha da futura profissão. Após a prova da Realschule os alunos tem aqui a possibilidade de fazer a prova e continuar os estudos no Gymnasium.

Resumo
Esses dois tipos de escola são muito parecidos, se diferenciando em regra apenas pela duração. Em Berlim, por exemplo, não existe mais essa divisão de Haupt- e Realschule e sim uma Escola Integrada Secundária (Integrierte Sekundarschule). Sendo assim o ensino médio berlinense se divide apenas entre essa Escola Integrada Secundária e o Gymnasium.

>Momento cozinha – Como ter um requeijão selbst gemacht!

17 jun

>

Eu não sou nenhuma cozinheira de mão cheia, como se encontra por aí, mas se teve uma coisa que eu tive que aprender na marra na Alemanha foi cozinhar.
Acho que se eu morasse no Brasil eu nunca iria parar pra pensar em como se faz coxinha ou pastel, ou ainda pão de queijo. Isso a gente encontra a cada esquina no Brasil, então para que pensar em selbst gemacht, feito por você mesmo, se você pode simplesmente  ir atras de uma selbst gekauft, comprado por você mesmo?  😉
Pois é amigos, mas aqui na Kartoffellandia não tem dessas mordomias não! Ou você passa vontade ou você descobre como fazer as coisas selbst. Na ja, não é tão fácil né, se ainda levar em conta que muitos ingredientes necessários não se encontra com facilidade por aí, a não ser que você more em grandes centros. Eu mesma quando vou a uma cidade grande como Berlim, Munique ou Frankfurt, dou uma de sacoleira e compro todos os produtos brasileiros que vejo pela frente. Desde polvilho azedo, triguilho para Kibe, canjica de canjicão e canjiquinha pra fazer ensopados no inverno. Parece loucura né, quase vou a falência quando entro num brasilianischer Laden, numa loja brasileira.
Mas ontem eu fiz uma descoberta que mudou minha vida e vai mudar a vida de muita gente (oooo exagero haha), pelo menos de muita gente que gosta de requeijão. O legal da vida na Alemanha é isso, sempre tem algo a se descobrir. 
Aprendi a fazer Requeijão cremoso! Vocês não sabem como eu amo requeijão. Como foi minha primeira experiência, a consistência dele não ficou tão firme como a dos comprados em supermercado no Brasil, mas o gosto ficou o mesmo. Achei duas receitas e acabei precisando usar as duas. Vou passá-las pra vocês primeiramente e depois explico o que eu fiz.

A primeira receita vem do site Tudo Gostoso. Aí vai:
  • 250 ml de leite fervente
  • 600 g de ricota
  • 100 g de manteiga em temperatura ambiente
  • 1 colher de sobremesa de amido de milho
  • 4 colheres de sopa de creme de leite
  • Sal a gosto
  1. Bata todos os ingredientes no liquidificador durante 5 minutos
  2. Leve à geladeira em um pote com tampa por 12 horas
A segunda receita eu encontrei no Cybercook
250 gr de ricota
100 gr de margarina
1/2 copo(s) de leite fervente
quanto baste de sal


Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata em baixa rotação até formar uma massa cremosa e fina. Coloque em recipientes de boca larga e conserve em geladeira. 
Dicas:
A consistência do requeijão pode ser mudada conforme a quantidade de leite. 

Bom, agora minhas observações sobre essa aventura na cozinha.
Segui a segunda receita. A quantidade de leite que eu coloquei foi 100ml. Como meu liquidificador é um pequeno mixer que só tem duas rotações, sendo a primeira ja muito rápida, e a receita pede que bata em baixa rotação, pode ter sido esse o motivo do meu requeijão ter ficado um pouco mais mole. Pech gehabt! Para fazer o creme ficar mais consistente recorri à segunda receita e fervi um pouco de leite com maizena até ele endurecer e acrescentei. Melhorou a consistência, mas ainda não ficou na textura que eu queria. De qualquer forma deu pra matar a saudade. Da próxima vez vou bater na batedeira de bolo ao invés de bater no liquidificador e acrescentar o leite aos poucos para evitar que fique tão mole. Quanto ao sal, coloquei uma colher de chá rasa, acho que poderia ter sido um pouco menos. Mas no fim das contas, adorei ter requeijão para passar no pão de manha, e rende muito!
Você tem uma receita para nos passar, deixe aqui 🙂
Tentou essa, deu certo? Deu errado? Conte TUDO pra gente!




>Calma que daqui a pouco eu volto com novidades

16 jun

>A vocês que sempre passam por aqui no blog, não se assustem, ele não está abandonado. Como estou preparando aquela série sobre educação na Alemanha eu tenho que pesquisar e ler muito para não falar besteira.
A grande dificuldade em escrever sobre isso é que em cada estado o sistema é diferente. Como já disse aqui no blog, a educação é responsabilidade do governo do estado e não do governo federal, o que faz com que cada estado tenha um método bem diferente do outro. Juntando com um milhão de coisas que tenho que fazer pra Uni, o tempo que sobra é mínimo!
Então calma que daqui a pouco eu volto!
Enquanto isso podem admirar meus dotes artísticos. Menina talentosa né? 😉

>Torcedor alemão fala sobre a Copa e a primeira vitória da Alemanha

14 jun

>

Hoje estamos chiques, vocês podem acompanhar a entrevista no original alemão ou em português. Entrevistei Marcel, um torcedor alemão, sobre o resultado da Alemanha no jogo de ontem. Marcel tem um canal no Youtube onde faz um videoblog, além de ser muito ativo no Twitter. Como muito dos meus leitores estudam, aprendem, ou ensinam alemão, resolvi postar a entrevista nas duas versões. Clique aqui para ver em alemão.

Quem vai ganhar essa Copa do Mundo?
Alemanha ou Espanha, eu acho.

Por que você acha isso?
Porque a Espanha convenceu no jogo qualificatório, e venceu também a Copa das Europas.

Você se surpreendeu com a maneira com que a seleção alemã jogou? Esperava que o resultado seria tão bom?
Tão direto não. Mas eu acho que nós temos uma seleção jovem, que veio do U21 (seleção de novos jogadores abaixo de 21 anos que a Liga Alemã de Futebol promove) e que participaram da Copa das Europas. Então eu acho que eles vão com certeza ser campeões mundiais.

Você é um típico torcedor de futebol? Já pendurou a bandeira da Alemanha em algum lugar?
Um típico torcedor não, eu gosto de assistir Bundesliga (Campeonatos entre times alemães), mas gosto mais de jogos entre países. Eu tenho uns artigos de torcedor, mas nada fora do normal. 

Você tem um canal do Youtube, já postou algo sobre a Copa do Mundo lá?
Claro, se a Copa do Mundo é tema, então ela aparece de vez em quando nos meus vídeos. 🙂

No Brasil anda se falando que a Alemanha só ganhou por causa de jogadores estrangeiros que são naturalizados alemães, como o “ex-brasileiro” Cacau.  O que você acha disso?
Nada a ver! Ontem se pode ver que o Müller também é capaz de fazer um gol. 😉

Quem você quer ver jogando pela Alemanha e por que?
Marin, Klose, Podolski e o time normal! 🙂

Só mais uma pergunta. Um jogo que você quer muito ainda assistir. Alemanha contra… ?
Alemanha contra Itália. A revanche. 🙂 *

Em 2006 a Alemanha foi derrotada pela Itália na semi final. Parece que os alemães não esqueceram!

%d blogueiros gostam disto: